VOLTAR

Funasa investiga possíveis casos de coqueluche no Amapá

Funai-Brasília-DF
07 de out de 2005

Desde 23 de setembro, pelo menos 300 dos 1.800 indígenas da aldeia Kamarumã, na fronteira do Brasil com a Guiana Francesa, apresentam sintomas de coqueluche. Com febre baixa, mal estar e tosse, os índios já foram submetidos a exames, que ficam prontos na semana que vem e devem confirmar ou não a doença na aldeia. Enquanto isso, a Funasa já disponibilizou medicamentos e uma equipe de saúde para os índios.

Cerca de 85% da população indígena da região já foi vacinada, assim a Funasa espera controlar a proliferação da doença. De acordo com os técnicos de saúde, desde terça-feira não há registros de novas suspeitas de coqueluche entre os Kamarumã.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.