VOLTAR

Funai quer que ministério resolva impasse com os kayabis

Midianews-Cuiabá-MT
03 de set de 2003

Pelo menos 700 índios Kayabis mantêm sete reféns na aldeia localizada às margens do rio Teles Pires, na divisa de Mato Grosso com o Pará.

Segundo a Polícia Militar, os funcionários da fazenda Santa Rosa em Apiacás (1.300 km ao norte de Cuiabá) são reféns dos índios desde sábado passado. A aldeia está situada em Jacareacanga (PA), na outra margem do rio.

A propriedade de 75 mil hectares pertence desde 1998 ao grupo Brascan, com sede no Rio de Janeiro, onde possui quatro shoppings e atua no ramo de hotelaria, no setor imobiliário e também no ramo agropecuário.

O diretor de agronegócios do grupo Brascan, Renato Cavalini, disse à Agência Folha que são sete reféns. A Polícia Militar foi informada sobre seis.

Os kayabis querem a demarcação de 1 milhão de hectares já declarados, segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), como terras indígenas pelo Ministério da Justiça em outubro de 2002.

Uma parte das terras está em Mato Grosso e a outra, no Pará. A fazenda se localiza dentro da área reivindicada pelos índios.

O administrador substituto da Funai em Colíder (MT), Luís Carlos da Silva Sampaio, disse que pelo menos dois funcionários foram armados até a aldeia e acabaram reféns no sábado.

Após o episódio, os índios atravessaram o rio, pegaram mais reféns na fazenda e trouxeram para a aldeia. Na versão de Cavalini, os caiabis foram até a fazenda, sequestraram sete pessoas e levaram para a aldeia do outro lado do rio. Ele nega que os caiabis tenham sido visitados por funcionários armados.

Cavalini pediu ontem à tarde ao Ministério da Justiça uma ação para libertar os reféns.

Os kayabis querem a presença na aldeia do presidente interino da Funai, Antônio Pereira Neto. Por meio de sua assessoria, Neto informou que até hoje à tarde não tinha recebido informações sobre conflito na aldeia.

A Polícia Militar e a Funai não souberam informar o nome dos reféns. O coronel da PM Valdemir Benedito Barbosa disse que o principal problema dos reféns deve ser a alimentação, pois, segundo ele, os índios se alimentam de macacos e peixes crus.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.