VOLTAR

Funai negocia liberação de reféns em terra Kayabí

Funai-Brasília-DF
16 de dez de 2005

O administrador regional da Funai para o Parque Xingu, Paiê Kayabí, acompanhado pelos líderes indígenas Marawê e Makupar Kayabí, está na aldeia Kururuzinho, com a missão de negociar a liberação de cerca de 30 pessoas mantidas reféns pelos índios. Entre os reféns há madeireiros, famílias de posseiros e outros invasores da terra indígena.

A presidência da Funai enviou a equipe para o local assim que tomou conhecimento do caso, no final da tarde de ontem (15/12). Segundo informações da equipe, os índios estão impacientes com a constante invasão de seu território.

A T.I, declarada por portaria do Ministério da Justiça em outubro de 2002, ocupa uma área de mais de um milhão de hectares e fica localizada ao norte do Mato Grosso e ao sul do Pará. Mais de 300 kayabi vivem nas cinco aldeias, a maior delas é Kururuzinho.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.