VOLTAR

Funai multiplica mogno dos índios para a madeireira

Jornal do Brasil (Rio de Janeiro - RJ)
20 de nov de 1987

Em um mês, os 1.570,97 metros cúbicos de mogno que os índios Aicanãs, da área indígena Tubarão-Latundê, em Rondônia, pretendiam vender para abrir 50 quilômetros de estrada e construir duas casas, transformaram-se, pelas mãos do presidente da Funai, em 43 mil metros cúbicos, que seriam explorados pela Serraria Dias Ltda. O contrato acabou vetado pela própria administração regional da Funai e amenizado para 26 mil metros cúbicos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.