VOLTAR

Funai admite que índio é vítima do colonizador

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
31 de mar de 1973

Ney Land, representante da Funai, afirmou durante um Simpósio que o que ocorreu no Brasil não foi genocídio contra os povos indígenas, mas sim latrocínio, praticado não pela Funai nem pelo SPI, mas sim pelas frentes pioneiras de ocupação. Land afirmou também que discorda de qualquer trabalho religioso ou missionário junto aos povos indígenas e defendeu a construção de estradas para a "integração do país", embora tenha admitido que as mesmas constituem problemas para os povos indígenas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.