VOLTAR

A fuga do seringal, para a liberdade

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
27 de fev de 1972

Universitários do Projeto Rondon, que estiveram em Boca do Acre (AC), afirmaram que os seringueiros enfrentam a falta de assistência, a insegurança e a exploração. Tal situação tem provocado o maior êxodo já conhecido, com o abandono dos seringais e a chegada às cidades desses migrantes subnutridos e desorientados.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.