VOLTAR

Fogo já dura dez dias em Confresa e causa grandes estragos

24 Horas News - http://www.24horasnews.com.br/
23 de ago de 2010

O fogo que começou há cerca de 10 dias em Confresa já fez um grande estrago na área da Destilaria Araguaia e Área Indígena Tapirapé. Na tarde desta sexta-feira (20) a Brigada de Incêndio de Confresa tentava controlar o fogo que tem causado desconforto na população. Os resíduos pretos que surgem das folhas das canas queimadas fazem uma grande nuvem de fumaça preta no céu, e voltam com grande intensidade para a cidade causando além de muita sujeitas problemas respiratórios.

"Não adianta limpar a casa, é dois minutos e já ta tudo preto de novo" - disse a dona de casa, Juliana Souza, que mora no setor Jardim do Édem.

No combate contra o fogo na Destilaria Araguaia trabalham cerca de 12 homens da brigada de incêndio. Eles usam a técnica do contra fogo, para evitar que uma outra área seja destruída causando ainda mais transtorno para a população que vem sofrendo com a seca e agora com as queimadas. A Destilaria este ano não deve fazer o corte da cana, o que acontecia praticamente todos os anos.

Segundo Fábio Tapirapé, na aldeia indígena, a população que chega a 400 moradores está preparada caso ocorra uma invasão do fogo dentro da aldeia onde as famílias residem. "Nós estamos preocupados até mesmo porque não temos nenhum tipo de material para apagar o fogo, na escola os professores já fizeram treinamento com as crianças, caso o fogo venha pra dentro da aldeia" - explicou.

Ele ainda disse que a situação já esta amenizada e que dias atrás as famílias vinham tendo muitos problemas respiratórios. O fogo que já está queimando há 10 dias começou nas fazendas Santa Laura, Tapeva e Codeba, as três fazendas fazem parte da área indígena Tapirapé, Fabinho não soube explicar o que motivou o fogo.

http://www.24horasnews.com.br/index.php?mat=339165

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.