VOLTAR

Fazendeiros se reúnem com Força Nacional para discutir tensão em área

Campo Grande News - https://www.campograndenews.com.br
Autor: Adriano Fernandes
22 de jan de 2020

A reunião integra a fase de mapeamento desenvolvida pela equipe enviada ao município pelo Ministério da Justiça.

Cerca de 30 donos de propriedades rurais localizadas no entorno da Terra Indígena de Dourados, se reuniram nesta quarta-feira (22) com policiais da Força Nacional na base operação que funciona dentro do 3o Batalhão da Polícia Militar do município.

A reunião integra a fase de mapeamento desenvolvida pela equipe enviada ao município pelo Ministério da Justiça, para atuar na área às margens da Perimetral Norte, próxima à Avenida Guaicurus, onde um tiroteio deixou 5 feridos no início deste mês.

No encontro de hoje, os produtores mostraram vídeos dos últimos conflitos e deram a sua versão sobre os fatos. A equipe da Força Nacional também deve manter diálogo com os índios que vivem no local, ainda conforme o Dourados News.

Cerca de 50 agentes da tropa especial federativa estão na região, sendo que 25 policiais já tem base fixa em Caarapó. A Força, a princípio, permanece em Dourados por seis meses após convênio assinado entre governo federal e estadual.

Área em disputa - As áreas em questão ficam no entorno da maior e mais populoso reserva indígena do país, que abriga as aldeias Jaguapiru e Bororó. Dividida por rodovia e cercada de condomínios fechados, por ali estendem-se propriedades rurais, de chácaras a fazendas.

As disputas se intensificaram nos últimos anos quando indígenas de dentro e fora da reserva começaram o processo que chamam de "retomada" das terras tradicionais, hoje ocupadas por propriedade rurais. Os índios acusam grupo de seguranças contratados por fazendeiros de reagirem com armas de fogo.

https://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/produtores-se-reune…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.