VOLTAR

Falta de água em São Paulo provoca reações de ONGs

Zé Dirceu - www.zedirceu.com.br
28 de out de 2014

Falta de água em São Paulo provoca reações de ONGs

28 out 2014/ Blog do Zé equipedoblog /Por Equipe do Blog

A falta de água em São Paulo, apesar de escandalosa e escondida pela mídia e pelo PSDB durante toda a campanha eleitoral, tornou-se escancarada agora. Ficou impossível ocultar a caótica situação do Estado nessa área. As torneiras amanhecem secas, já existem filas em cidades do interior para pegar água em bicas, as caixas d'água dos prédios se esvaziam após poucas horas com água. Agora todos sabem e já viram: não tem água em São Paulo.
Todos sabem, mas isso não basta. Mais ações e denúncias precisam ser feitas para denunciar a irresponsabilidade do governo do Estado nos últimos anos e encontrar soluções para esse gravíssimo problema. Com esse propósito será lançada amanhã (4ª feira, 29) a Aliança pela Água de São Paulo, formada por 20 ONGs, para combater a falta de ação já crônica do poder público e os erros na administração do sistema hídrico, sobretudo o Cantareira.
As ONGs acusam o governo Geraldo Alckmin (PSDB) e a Sabesp de omitirem e esconderem informações sobre a real situação dos mananciais paulistas, bem como no caso do uso da segunda cota da reserva do volume morto na Cantareira.
A culpa é de quem?
Elas não aceitam a versão oficial que coloca a culpa na falta de chuva no Estado. Acusam o governo de falta de planejamento. Para tanto embasam-se nos dados do Instituto Socioambiental (ISA) que apontam que a retirada do Cantareira, na seca sem precedentes de 2013/14, foi mantida inalterada por cinco meses, de outubro a fevereiro.
No período o volume de chuva diminuiu até 72% da média histórica. O armazenamento no Cantareira despencou de 37% para 16,4%, mas a retirada de água no reservatório seguiu em torno de 32 m³/s. A empresa, ao invés de reduzir a produção, simplesmente aumentou contabilmente a reserva disponível através da utilização do volume morto.
O problema é muito maior
A omissão da SABESP quanto aos dados sobre a água no Estado e o racionamento oculto - chamado de "redução de pressão" pelo governador - tornam muito difícil calcular a dimensão dos danos causados pela falta de planejamento do governo do PSDB. Pensando nisso o Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC) entrou com pedido, por meio da Lei de Acesso à Informação, para que a SABESP divulgue onde e quando vai faltar água na Grande São Paulo.
Após vários recursos e atrasos, foram liberados, na sexta-feira (24), 13 mapas com "zonas de coroa", curvas de nível críticas que favorecem a interrupção do abastecimento. O instituto não se satisfez com as informações obtidas e as chamou de "um desserviço" por não mostrar a real dimensão da área afetada.

http://evsmanhoso.wordpress.com/2014/10/28/falta-de-agua-em-sao-paulo-p…

http://www.zedirceu.com.br/falta-de-agua-em-sao-paulo-gera-reacoes-de-o…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.