VOLTAR

EUA ratificam criticas a Kyoto

OESP, Vida, p.A14
08 de Dez de 2004

EUA ratificam críticas a Kyoto
Para enviado de Bush, ainda não é hora de aderir ao Protocolo
Ariel Palácios
"Não somos os bad boys (garotos maus) deste filme." Com essas palavras, o enviado especial do Departamento de Estado dos EUA, Harlan Watson, rebateu ontem com ironia as críticas disparadas pelos países em desenvolvimento durante a 10.ª Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-10), realizada em Buenos Aires.
Os críticos dos EUA acusam o governo do presidente George W. Bush de ter uma posição beligerante contra o Protocolo de Kyoto e de não realizar esforços para conter as emissões de gases que causam o efeito estufa, e assim, tentar minimizar o impacto do aquecimento global.
"Não somos os garotos maus. E além disso, nós, nos EUA, estamos focados nas ações ambientais muito mais do que outros países que seguem o Protocolo de Kyoto", disparou Watson durante coletiva de imprensa ontem à tarde. Segundo ele, o governo Bush considera que "não é o momento apropriado" para aderir ao Protocolo "por diversas razões técnicas e econômicas".
Os EUA são responsáveis por 25% das emissões de gás do planeta. No entanto, desde a criação do Protocolo, em 1997, se recusam a homologá-lo.
Enquanto na COP-10 dezenas de países já discutem o que fazer em uma segunda etapa do Protocolo, após o ano 2012, o governo Bush recusa-se categoricamente a debater o assunto. "Ainda temos muitas lições a aprender da implementação de Kyoto", explicou Watson. Para ele é preciso primeiro avaliar os resultados das metas do Protocolo para só depois pensar no pós-2012.

OESP, 08/12/2004, p. A14

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.