VOLTAR

Estudo aponta diversidade de anfíbios e répteis em Esec

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
05 de fev de 2020

Pesquisadores realizaram um inventário de herpetofauna da Esec Rio Acre, localizada na cidade de Assis Brasil (AC).

Analistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) elaboraram um artigo como resultado de uma pesquisa que durou três anos, na Estação Ecológica (Esec) Rio Acre, na cidade de Assis Brasil, no Acre, uma das áreas mais isoladas do planeta. Eles realizaram um inventário de herpetofauna da Esec Rio Acre. No estudo, eles destacam que é alta a riqueza de anfíbios e répteis na unidade de conservação, principalmente, quando comparada a outras localidades da Floresta Amazônica no Brasil.

Para realizar o inventário, eles organizaram três expedições, e encontraram 132 espécies (63 anfíbios e 69 répteis). Este estudo fornece o segundo inventário mais robusto para o estado do Acre até o momento e fornece novas informações que podem apoiar estudos futuros na região, como contribuir para a revisão do plano de manejo da Estação Ecológica Rio Acre, argumentam os pesquisadores.

Para chegar ao local, os profissionais ficavam isolados numa pequena base por dez dias após o deslocamento que podia durar 4 dias na ida e volta. O levantamento foi realizado nos meses de abril de 2015, fevereiro de 2016 e dezembro 2017, na busca na floresta pelos anfíbios, lagartos, cobras e quelônios. O esforço de amostragem compreende cerca de 900 horas de observação, das quais 600 horas durante a noite e 300 horas durante o dia.
A Estação Ecológica Rio Acre é uma área protegida que compreende 79.395,22 hectares. A vegetação é classificada como floresta tropical aberta, pois é caracterizada pela presença de Florestas Abertas, onde o dossel apresenta menor densidade de árvores grandes e possui um subosque com grande abundância de palmeiras, bambus e lianas.

Acesse aqui o artigo

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.