VOLTAR

Estado discute desenvolvimento sustentável para o oeste

Governo do Estado do Pará - www.pa.gov.br
Autor: Angelo Cavalcante
17 de jun de 2008

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) sediou nesta terça-feira (17), uma reunião para definir a criação de um conjunto de áreas de preservação e desenvolvimento sustentável no oeste do Pará, que atenda aos interesses do Estado e da União.

Durante a reunião, o Estado ratificou o apoio à criação da Reserva Extrativista (Resex) Renascer, conforme traçado a ser melhor definido em acordo com a comunidade, propondo a exclusão de áreas que podem gerar conflito.

O Estado vai reforçar a proteção desta área com a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) de Santa Maria do Uruará e a criação da Floresta Estadual da Amazônia em torno da Resex, ampliando o seu traçado, que também servirá de proteção à área. A proposta foi aceita por todos os representantes dos órgãos presentes.

A presidente do Instituto de Florestas do Pará (Ideflor), Raimunda Monteiro, propôs que a reserva seja criada pelo Estado do Pará, o que também foi aceito por unanimidade.

Novo ciclo - O procurador do Ministério Público Federal, Felício Pontes, afirmou que se a reserva for estadual, inaugura um novo ciclo na relação do Governo Federal com as comunidades tradicionais do Pará, pois seria a primeira Resex estadual, o que mostraria uma decisão de apostar no desenvolvimento sustentável.

Ainda segundo o procurador federal, "existe um estudo que embasa a criação da reserva e, hoje, o Estado do Pará tem condições de colocar em prática esse estudo, que aponta para exploração de óleo vegetal com a venda para indústrias de cosméticos no Brasil e no exterior". E completou: "É um filão de mercado muito mais lucrativo que a exploração de madeira".

Após o encontro, houve uma outra reunião com membros do MPF, Ibama e Ministério do Meio Ambiente (MMA), na qual o procurador geral do Estado, Ibraim Rocha, apresentou a proposição definida com assessores do MMA, que será analisada em Brasília.

O resultado da reunião será comunicado à governadora Ana Júlia Carepa, já com o resultado das discussões com o MMA e comunidades.

Participaram do encontro representantes da Procuradoria Geral do Estado, Ministério Público Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Casa Civil da Governadoria, Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Ideflor e Instituto de Terras do Pará (Iterpa).

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.