VOLTAR

Esgoto vaza de estação da Compesa e contamina praia de Noronha

G1 - http://g1.globo.com/
Autor: Ana Clara Marinho
24 de set de 2013

A Praia do Cachorro, em Fernando de Noronha, Pernambuco, está sendo contaminada por água de esgoto. A água da Estação de Tratamento da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que fica no Sítio Histórico, despeja a água escura no riacho Mulungu, causando mau cheiro e espuma, típica de águas poluídas.

Os comerciantes da área dizem que é comum sentir mau cheiro. "A gente sempre percebe, os turistas às vezes reclamam", disse o comerciante José Carlos Lopes. "A gente sempre sente o mau cheio de esgoto, os turistas questionam, a água suja é jogada na praia", afirmou Maria Odete Santana, funcionária do Bar do Cachorro, um dos mais conhecidos do local.

Carina Abreu, chefe da Área de Proteção Ambiental, do Instituto Chico Mendes disse que a Compesa será notificada neste terça-feira (24). "Não precisa nem fazer exames, está claro que isso é esgoto in natura" afirmou. A chefe da APA afirmou que "Despejar esgoto na praia em uma Área de Proteção é crime ambiental". Carina Abreu pede que turistas e moradores de Noronha evitem o banho na Praia do Cachorro até que a Compesa pare de despejar esgoto in natura no mar. O risco é contrair uma doença de pele.

O gerente da Compesa, Djair Pinto, confirmou que a empresa está despejando esgoto na Praia do Cachorro. "Estamos com problemas na Estação de Elevatório de Esgoto região e, nos horários de grande fluxo, o esgoto é despejado", reconheceu o gerente. Segundo Djair, a Compesa está com uma bomba quebrada, mas este não é o motivo do despejo irregular. "Nós enfrentamos este problema há algum tempo e ele se agravou na última sexta-feira (20). Uma equipe técnica chega à ilha na nesta quarta (24) e eu espero que a pene seja solucionada até o final desta semana", afirmou o gerente da empresa.

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/09/esgoto-vaza-de-estacao-d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.