VOLTAR

ePharma leva saúde à população indígena da Amazônia

Segs segs.com.br
21 de nov de 2017

Empresa integra as jornadas da ONG Expedicionários da Saúde

A ePharma, empresa líder no mercado de assistência de benefícios farmacêuticos e de soluções para gestão de programas de saúde, participou da 39ª. missão da ONG Expedicionários da Saúde (EDS), realizada entre os dias 25 de outubro e 4 de novembro. No período, foram realizadas 400 cirurgias, 4.451 consultas médicas e odontológicas e 5.699 exames e procedimentos, além de 706 óculos doados, beneficiando as populações indígenas no Alto Rio Juruá (AC).

Devido a complexidade na logística para o deslocamento das equipes e pacientes, foram utilizados transporte fluvial, terrestre e aéreo (helicóptero, aeronave Caravan e avião da FAB). Nas regiões distantes e de difícil acesso, uma equipe de médicos da EDS se deslocou 5 dias antes da expedição, para confirmar a triagem realizada pelos profissionais de saúde do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI). O deslocamento dos profissionais contribuiu para uma maior efetividade e eficiência, diminuindo com isso os custos no deslocamento e o estresse na viagem dos paciente

A ePharma esteve presente com duas voluntárias nesta edição. Foi a segunda vez que a companhia encaminhou voluntários para missões na Amazônia. As farmacêuticas Suelen Carlos da Silva e Maria Marly de Sousa Santos trabalharam na dispensação de medicamentos tanto para o centro cirúrgico geral como também para o oftalmológico. Além disso, ficaram responsáveis pelo fornecimento de remédios aos pacientes. "O meu dia a dia aqui na ePharma ajudou muito na expedição. Já conhecia como era o uso do medicamento, o que facilitou a orientação", relata a enfermeira Maria Marly.

A 39ª Expedição atendeu às demandas cirúrgicas da população indígena estimada em 18.000 habitantes, que vive numa área de 82.000 Km², equivalente ao tamanho de Portugal, sendo delimitada por oito municípios contíguos que abrigam 34 Terras Indígenas e 158 aldeias no Alto Rio Juruá-AC. O Complexo Hospitalar foi montado na Comunidade de Morada Nova, Município de Feijó, localizada às Margens do Rio Envira. "A minha experiência no atendimento da ePharma facilitou nosso trabalho. Falamos diretamente com o paciente e esse contato fez a diferença", ressalta a farmacêutica Suelen.

"A ePharma se sente extremamente honrada em participar das missões da EDS. Nosso papel é facilitar o acesso da população à saúde e o trabalho dessa ONG vem ao encontro dos nossos princípios", destaca Marcos Inocencio, diretor Corporativo da ePharma. Segundo ele, a empresa vai continuar incentivando os trabalhadores para as próximas expedições da ONG. "O espírito de voluntariado se espalhou na empresa e diversos colaboradores já demonstraram interesse em participar dessas missões", ressalta do diretor da companhia.

Ricardo Affonso Ferreira, médico e presidente da ONG EDS, ressaltou a colaboração dos parceiros na missão: "Há muito ainda a ser feito e estamos certo de podermos continuar contando com o importante apoio da ePharma".

A ePharma

Referência em gerenciamento de benefícios farmacêuticos no Brasil desde 1999, a ePharma desenvolve soluções inovadoras para acesso e adesão a medicamentos oferecendo gestão e orientação especializada. Inovação, integração e cuidado em saúde são os pilares que sustentam a estratégia da companhia para atendimento aos seus clientes.

A ePharma está conectada a mais de 24 mil farmácias em mais de 2.700 municípios em todo o Brasil. São 28 milhões de usuários atendidos por ano em planos de medicamentos. A empresa realiza 6,5 mil procedimentos por mês em mais de 1,3 mil clínicas e laboratórios credenciados. Além disso, 40 mil pacientes são monitorados por mês em PSPs (Programas de Suporte a Pacientes) de indústrias farmacêuticas e operadoras de saúde. A empresa atende 200 clientes corporativos, 19 indústrias e 7 operadoras no país.

http://www.segs.com.br/saude/91509.html

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.