VOLTAR

De bagres e índios

OESP, Fórum dos Leitores, p. A2-A3
Autor: VALLE, Raul Silva Telles do
09 de dez de 2006

De bagres e índios

Gostaria de fazer alguns comentários sobre o artigo Quanto custa um bagre? (4/12, B2), de Carlos Alberto Sardenberg. Em primeiro lugar, o Parque Indígena do Xingu não tem "meia dúzia de índios", mas mais de 5 mil pessoas pertencentes a 14 povos com línguas e culturas distintas, que constituem um significativo patrimônio para o País. Ademais, as hidrelétricas citadas no artigo são, na verdade, apenas cinco pequenas centrais geradoras, que, embora gerem pouca energia, podem causar grandes impactos, como a extinção de diversas espécies de peixes. Os "bagres" aludidos no artigo são a principal fonte de alimentação de toda a população indígena do Xingu e seu sumiço inviabilizaria sua sobrevivência. Portanto, a pergunta feita no artigo deveria ser: vale a pena sacrificar a diversidade socioambiental brasileira por meia dúzia de megawatts?

Raul Silva Telles do Valle, advogado do Instituto Socioambiental (ISA)
www.socioambiental.org São Paulo

O articulista Carlos Alberto Sardenberg responde: Pelo
menos se começa a fazer conta.

OESP, 09/12/2006, Fórum dos Leitores, p. A2-A3

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.