VOLTAR

Couto ignora tortura e Juruna pede sua saída

Última Hora (Rio de Janeiro - RJ)
11 de set de 1985

O ministro do Interior, Ronaldo Costa Couto, não comentou as denúncias feitas pelo sertanista Odemir Oliveira e onze caciques, publicadas em outra edição deste jornal, segundo as quais soldados da Polícia Militar de Mato Grosso e o antropólogo Célio Horst prenderam e torturaram, em Cuiabá (MT), mulheres índias além de perseguirem indígenas Rikbaktsa. O cacique e deputado, Mário Juruna, exigia, enquanto isso, a demissão do ministro em questão.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.