VOLTAR

Contrato da Funai com a Grã-Reata sem renovação

O Liberal (Belém-PA)
28 de mai de 1982

O Coronel Paulo Moreira Leal, presidente da Fundação Nacional do Índio, informou que não existe amparo judicial para a permanência da fazenda Grã-Reata em território dos Xikrin, no município de Marabá (PA), e assim o contrato de permanência das cerca de 500 cabeças de gado não será renovado.
Além de desmentir a versão da antropóloga Lux Vidal sobre o caso dos Xikrin e da fazenda Grã-Reata, o presidente da Funai falou sobre o conflito entre um grupo Parakanã e trabalhadores que operam no desmatamento da área onde será construída a usina de Tucuruí. Ele também revelou que a Funai está interessada em resolver o problema da demarcação da terra indígena Kayapó e que serão aplicados Cr$ 1 bilhão e 700 milhões em melhorias de infraestrutura nas terras das comunidades indígenas da região do "Corredor de Carajás".

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.