VOLTAR

Cimi reconhece abertura, mas ainda teme pelo índio

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
05 de jun de 1979

Embora reconheçam uma maior abertura do governo em relação às atividades do Cimi, os missionários chamam a atenção para a situação dos povos indígenas, que não se modificou nos últimos anos. Os missionários também discutem a situação enfrentada pelos Parakanã, cuja terra foi invadida pelo traçado da Transamazôncia e agora se encontram ameaçados pelas obras da UHE Tucuruí.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.