VOLTAR

Cimi exige que ministério apure morte

Jornal do Brasil (Rio de Janeiro-RJ)
24 de set de 2003

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) exige que o Ministério da Justiça desloque uma equipe especial de investigação para apurar o assassinato do índio kaingang Ademir Mendes Alves, de 24 anos, da reserva de Palmas, ao sul de Curitiba. Ele morreu degolado na madrugada de domingo, mas o caso só foi denunciado ontem à Fundação Nacional do Índio, em Brasília. O Cimi - ligado à CNBB - atribui a morte a disputas de madeireiros pela reserva.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.