VOLTAR

Cientistas dizem nao haver duvidas de que homem alterou o clima

O Globo, Ciencia, p.40
04 de dez de 2003

Cientistas dizem não haver dúvidas de que homem alterou o climaDois dos maiores climatologistas dos Estados Unidos anunciaram não haver dúvidas de que a atividade humana desempenha um papel crescente e mensurável nas mudanças climáticas. O estudo dos dois foi baseado numa minuciosa revisão de pesquisas climáticas e será publicado na edição desta semana da revista americana Science”. A falta de provas conclusivas sobre o impacto da ação humana sobre o clima tem sido usada como argumento por alguns países, dentre eles os EUA, para não aderir a programas de redução de emissão de poluentes, em especial ao Protocolo de Kioto. A divulgação do estudo foi programada para coincidir com a nona rodada de negociações para a implementação do Protocolo de Kioto, em Milão. O protocolo prevê que os países industrializados cortem as emissões de gases poluentes, entre 2008 e 2012, 5,2% abaixo dos níveis de 1990. Para que ele entre em vigor é preciso que 55 países o ratifiquem, incluindo os países industrializados responsáveis por 55% das emissões de dióxido de carbono, o principal gás associado ao aquecimento. Os cientistas Thomas Karl, do Centro de Informações Climáticas dos EUA, e Kevin Trenberth, do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica, fizeram ainda simulações que confirmaram as previsões de mais calor, secas e enchentes para os próximos anos. Ontem, a Rússia voltou atrás na decisão de não aderir a Kioto. O governo russo desautorizou o assessor presidencial que havia dito que o país não assinará o acordo. A Rússia é responsável por cerca de 17% das emissões de dióxido de carbono e sua adesão é essencial para que o tratado tenha êxito.

Opinião: Calor e miopiaPRIMEIRO, O presidente Vladimir Putin, referindo-se de maneira zombeteira ao Protocolo de Kioto, disse que um pouquinho mais de calor poderia ser bom para a Rússia. DEPOIS, O principal assessor econômico de Putin, Andrei Illarionov, anunciou que a Rússia não ratificaria o tratado. AGORA, NO entanto, o vice-ministro da Economia, Mukhamed Tsikhanov, desautorizou Illarionov e disse que o país caminha no sentido de ratificar o protocolo. ESPERA-SE que esta seja a posição real do governo Putin, que demonstraria, assim, não estar aferrado a uma míope visão de curto prazo, que seria a única explicação para a rejeição do protocolo. PORQUE O tratado, se é bom para todo o mundo, é bom particularmente para a Rússia, segundo cientistas locais. Que advertem: o país está sob ameaça de desastrosas mudanças climáticas devido ao aquecimento global.

O Globo, 4/12/2003, p. 40

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.