VOLTAR

Centro da PM diz que não houve mortes entre kulinas

A Crítica (Manaus-AM)
18 de dez de 1993

O administrador da Funai no Amazonas, Raimundo Catarino Cerejo, disse que só irá se posicionar em relação aos resultados da investigações da Polícia Militar sobre o conflito entre índios Kulina e o comerciante Manoel Campelo depois que receber o relatório do chefe do posto da Funai em Eirunepé. A Polícia afirma que não houve mortes no conflito, sendo que o chefe de posto da Funai fez um relatório apontando 11 mortos, entre velhos, jovens e crianças.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.