VOLTAR

Carro capota após atropelar e matar indígena na BR-364

Tribuna do Juruá - http://www.tribunadojurua.com/
Autor: Francisco Rocha
17 de set de 2010

Quatro dos seis ocupantes do veículo, entre eles um bebê, foram removidos para o Hospital do Juruá em Cruzeiro do Sul com ferimentos leves. Para escapar da fúria dos índios katukinas o motorista se passou por passageiro. Revoltados eles bloquearam a BR-364.

O acidente aconteceu no início da noite de quinta-feira (16) na Terra Índigena Katukina na BR 364 a cerca de 60 quilômetros de Cruzeiro do Sul. O veículo Parati de placa AKQ-2588 da cidade de Maringá no Pará que seguia em direção à Cruzeiro do Sul era dirigido por Cleomar Fernandes de Souza, 32 anos.

O índio Rodrigo Pequeno de Souza, 26, saia do posto de saúde e caminhava em direção a aldeia quando teria sido atingido nas costas pelo carro que capotou várias vezes, o índio morreu na hora. Além do motorista, estavam no veículo mais 5 pessoas, 2 crianças de 5 e 6 anos que escaparam ilesas e José Alelson Graça da Silva, 45 anos, Francisca Luzia de Almeida, 28 anos e um bebê de 9 meses, que foram removidos para o Hospital do Juruá, aparentemente apresentando ferimentos leves.

O motorista da parati chegou a ser agredido pelos índios, mas para escapar disse que era passageiro e informou que o condutor do carro tinha fugido. Como a BR-364 passa dentro da terra indígena, os índios bloquearam a rodovia em protesto pelo acidente. Só este ano por várias vezes eles bloquearam a BR-364 para fazer reivindicações e protestos. Para evitar conflitos dos índios com motoristas, uma equipe de policiais militares permaneceu no local do bloqueio durante toda noite.

http://www.tribunadojurua.com/index.php?option=com_content&task=view&id…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.