VOLTAR

Caingangues liberam RS-324

Zero Hora-Porto Alegre-RS
Autor: VIVIAN EICHLER
16 de ago de 2002

Foram libertados os cinco índios presos na última terça-feira

O trânsito na RS-324, em Planalto, extremo norte do Estado, foi normalizado ontem pela manhã, após a libertação dos cinco caingangues presos desde terça-feira no Presídio Regional de Passo Fundo.

A rodovia, que cruza aldeias no Toldo Indígena de Nonoai, estava bloqueada havia uma semana, em protesto pelo atropelamento fatal de uma adolescente caingangue.

Os índios foram soltos ontem, por volta das 2h, com um habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça do Estado, a pedido da Defensoria Pública estadual. O cacique José Orestes Nascimento e quatro companheiros tinham sido presos em flagrante pela Polícia Federal, após o cumprimento de uma ação de desobstrução da RS-324, expedida pela Justiça de Planalto.

Os caingangues foram acusados de desobediência, formação de quadrilha, extorsão, arremesso de projetil em veículos e de incitar atos criminosos. O Ministério Público Federal instaurou um inquérito civil público para apurar os atos referentes ao bloqueio e à ação da Polícia Federal que resultou nas prisões. Os índios bloquearam a estrada em três pontos. Era permitida a passagem apenas de ambulâncias e ônibus escolares.

Ontem pela manhã, uma reunião realizada entre representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Estado, da prefeitura e da comunidade caingangue, selou um acordo para melhorar a segurança na rodovia.

O governo estadual se comprometeu a liberar imediatamente R$ 251 mil para a construção emergencial de um caminho paralelo ao asfalto, de 10 quilômetros de extensão. Serão estudadas também a instalação de redutores de velocidade e nova sinalização.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.