VOLTAR

Billings faz 80 anos. Sob protesto

JT, Cidade, p. A14
28 de mar de 2005

Billings faz 80 anos. Sob protesto
Moradores do ABCD reclamaram das obras do trecho Sul do Rodoanel, que passará pela região

Marici Capitelli

O plantio de 30 árvores às margens da Billings e um parabéns a você pelos 80 anos de existência. Foi desta maneira que cerca de 100 moradores das áreas de mananciais de São Bernardo do Campo realizaram ontem um protesto no bairro Botujuru. A comunidade aproveitou o aniversário da represa para se posicionar contra as obras sul do Rodoanel que irão passar pela região.
Serão 54 km ligando a rodovia Régis Bittencourt, em Embu, até a Avenida Papa João XXIII, em Mauá, no ABCD, que por sua vez se unirá a Avenida Jacu-Pêssego. As obras terão inicio em outubro.
"Nós não somos contra o Rodoanel. O que estamos querendo é a alteração do traçado na nossa região para reduzir os danos ambientais, como a destruição da mata e da Billings", afirmou o morador Luiz de Deus, 47 anos, que representa a população no Comitê de Bacias Hidrográficas do Alto Tietê.
De acordo com os moradores, o Rodoanel vai cortar três vezes a Avenida Ribeirão do Soldado, que tem em torno de quatro quilômetros e mais 800 metros da Avenida Basilio da Gama. Essas vias ficam cercadas por vegetação nativa de mata atlântica, por onde circulam animais e aves típicos. Os moradores estimam que no traçado sul do Rodoanel serão prejudicadas 123 nascentes de água. "Somos tratados pelo Poder Público como invasores. Mas isso não é verdade. Estamos aqui muito antes da lei de proteção aos mananciais e lutando pela preservação", afirmou Oswaldo Negreiro, 66 anos, há 47 no bairro.
Os moradores elaboraram um novo estudo. Pela proposta, o Rodoanel aproveitaria a interligação Anchieta-Imigrantes. Em um desses pontos, sairia uma ponte que passaria sobre a Billings, interligando a rodovia Índio Tibiriçá.
Para o secretário estadual de Transportes e presidente do Dersa, Dario Lopes, o protesto dos moradores foi fora de tempo. A obra sul do Rodoanel está estimada em R$ 2,2 bi e ficará pronta em 48 meses.

JT, 28/03/2005, Cidade, p. A14

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.