VOLTAR

Bida perde fazenda em Anapu

JB, País, p. A4
26 de fev de 2005

Bida perde fazenda em Anapu

Folhapress

Anapu, PA - Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de ser o mandante do assassinato da missionária Dorothy Stang, perdeu ontem a posse do lote 55 da gleba Bacajás, conhecido como fazenda Boa Sorte, em Anapu.
A área, de 3 mil hectares, será ocupada por 30 famílias sem terra. Lá será criado o PDS (Projeto de Desenvolvimento Sustentável) reivindicado pela irmã Dorothy, que pretende conciliar preservação da floresta, atividade extrativista e agricultura familiar.
Outras 60 famílias serão instaladas em dois lotes da gleba Belo Monte, o 108 e o 129, que também se transformarão em projetos de desenvolvimento sustentável.
Em visita à região, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, liberou 9 mil hectares de terras para assentamento de 90 famílias.
A decisão judicial que permitiu a liberação das terras havia sido assinada pela desembargadora federal Selene Maria de Almeida em setembro de 2004. Só foi cumprida ontem, no entanto, 13 dias após a morte da missionária, quando o oficial de Justiça Clediston Souza e o engenheiro agrônomo Raimundo Picanço, representando o Incra, aterrissaram em um pasto da fazenda onde a freira foi assassinada.
As terras foram devolvidas à União, detentora original. Depois, em uma cerimônia assistida apenas por jornalistas, Rossetto repassou o auto de imissão na posse para as mãos do presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Anapu, Francisco de Assis dos Santos Souza.
- É pouco, mas é um passo. Não estamos brincando. É de Anapu para o Pará e, daí, para o Brasil todo - disse a irmã Jane Dwyer, 64, companheira de Dorothy na casa das irmãs da Congregação de Notre Dame de Namur, em Anapu.
Para acompanhar a entrega do auto de imissão, dois helicópteros do Exército e um da Polícia Rodoviária Federal foram levados a Anapu a partir de Altamira (PA), a meia hora de distância de vôo.
Os helicópteros levaram, além do oficial de Justiça, do engenheiro e de Rossetto, o ouvidor agrário nacional, desembargador Gercino José da Silva Filho, o subsecretário de Direitos Humanos, Perli Cipriano, a senadora Ana Julia (PT), o deputado federal José Geraldo (PT-PA), o superintendente do Incra do Pará, Inocêncio Gasparin, e o representante do Ministério Público Agrário, Carlos Guedes.
Os visitantes participaram de uma reunião fechada com as irmãs e líderes de trabalhadores rurais. O oficial de Justiça e o engenheiro do Incra dirigiram-se num helicóptero para o lote 55. Dois representantes de associações de assentados testemunharam a imissão na posse.

JB, 26/02/2005, País, p. A4

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.