VOLTAR

Arbitrariedades, tônica da política do governo

A Província do Pará (Belém - PA)
19 de abr de 1980

A antropóloga Lúcia Hussak denuncia as arbitrariedades e ameaças que vem sofrendo a região do Tumucumaque em respeito da forma com que o governo lida com os problemas, a partir de decisões tomadas nas cidades, totalmente descoladas da realidade indígena. Hussak afirma que é imprescindível uma revisão dos atuais limites do Parque, com fins de abranger a real ocupação indígena da região, bem como a efetivação do processo demarcatório (a terra é atualmente apenas delimitada). O problema, para a antropóloga é que a Funai e a Fab têm interesse em manter as coisas como estão (a existência de uma única aldeia que reúne todos os Wayana-Apalai) ignorando os próprios critérios indígenas de escolha de seus territórios. Para além dos riscos de saúde que enfrentam os povos dessa região, dos problemas com a escolarização, também se fazem presentes a intervenção da construção de estradas, dividindo o território e influindo na organização social indígena.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.