VOLTAR

Amapá e Pará estudam causa indígena do Parque do Tumucumaque

Antonio Correa Neto Online - www.correaneto.com.br
Autor: Gilvana Santos
24 de jun de 2008

Técnicos da Coordenação Regional da Funasa no Amapá (Core/Ap) e do Governo do Estado do Pará estarão reunidos nesta terça-feira (24), em Macapá, para discutir com lideranças indígenas do Parque do Tumucumaque a política pública de atendimento à população residente na área.

O encontro é preparatório para a I Conferência dos Povos Indígenas do Pará que tem por objetivo definir as diretrizes da política estadual para os povos indígenas do Pará, dentre eles, os do Parque do Tumucumaque, que estão sediados nos município paraenses de Óbidos e Almerim, cuja responsabilidade pela atenção básica de saúde é da Core/Ap, através do Distrito Sanitário Especial Indígena do Amapá e Norte do Pará (Dsei/Ap).

Ivone Medeiros, gestora do Dsei/Ap, falou da importância da participação do Amapá nessa construção em busca de melhorias para a saúde dos povos indígenas do Tumucumaque que têm como maior dificuldade o acesso à área que só pode ser feito via aérea, o que compromete o deslocamento dos indígenas que necessitam de especialidades médicas e são encaminhados para atendimento em Macapá na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). "Com o Estado do Pará atuando em parceria com a Funasa temos grandes possibilidades de melhorar esse atendimento", disse a gestora.

O encontro acontece a partir das 8h, no salão da Associação dos Povos Indígenas do Tumucumaque (APITU), na Casa do Índio, que fica localizada na av. Beira Rio, ao lado da Casa do Artesão.

O Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque fica em uma área de 3,8 milhões ha, nos estados do Amapá e Pará. Possui uma população indígena estimada em mais de 2 mil índios das etnias Apalai, Oiãpi, Wayana, Tiriyó, Kaxuiana, Txykyana e Akurió, distribuídos em 50 aldeias.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.