VOLTAR

Alerta: Rodoanel Sul é ‘desastre’

OESP, Metrópole, p. C1
17 de mai de 2005

Alerta: Rodoanel Sul é desastre

Estudo de instituto ambiental mostra que impacto da estrada pode ser tão grande que prejudique capacidade da Billings
A construção do Trecho Sul do Rodoanel, que passará por Diadema e São Bernardo, na região da Represa Billings, pode causar impactos ambientais tão graves que, em 50 anos, a capacidade de abastecimento do reservatório deverá cair pela metade. Essa é a conclusão de estudo do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam). A obra causa questionamentos em São Bernardo, cujo prefeito, William Dib (PSB), foi a Brasília pressionar a União a liberar dinheiro para os trabalhos. "O reconhecimento da necessidade da obra não significa adesão incondicional", disse o secretário municipal de Habitação e Meio Ambiente, Osmar Mendonça.
O presidente do Proam e membro do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema), Carlos Bocuhy, apresentou o estudo ontem na Câmara de São Bernardo, um dos municípios mais atingidos pela obra. Segundo ele, por conta do desmatamento e da ocupação desordenada, a Billings já perdeu, nos últimos 75 anos, 25% da capacidade de armazenamento. "Esse processo vai se acelerar, e muito, com o Rodoanel, uma obra de grande porte que terá um movimento de terra impressionante. Boa parte desses sedimentos vai parar dentro da represa."
Prefeitura de São Bernardo quer saber traçado exato da obra e suas conseqüências
O presidente das Comissões de Meio Ambiente e Especial do Rodoanel, vereador Névio Carlone Júnior (PSB), disse que fará uma audiência pública independente, sem data prevista, para saber a opinião da população sobre a obra. Ele quer marcar reunião com parlamentares das cidades atingidas para discutir o traçado.
Braços
De acordo com Bocuhy, o assoreamento atingiu mais os braços da represa. "A Igreja Nossa Senhora dos Navegantes, em Diadema, estava às margens da Billings. Hoje fica a 500 metros da água e, quando há procissão, os barcos só têm profundidade para navegar a 2 km da margem."
Bocuhy frisou que o Trecho Sul do Rodoanel passará pelas áreas mais fragilizadas da represa, prejudicando os mananciais com a construção e induzindo a ocupação dessas áreas. "Queremos que o governo responda se a Billings vai conseguir absorver o impacto das obras e a ocupação atraída pelo Rodoanel."
A Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa) informou ontem, por meio de sua Assessoria de Imprensa, que o traçado do Trecho Sul ainda não foi definido e está atualmente na Secretaria do Meio Ambiente, responsável pela análise e pela aprovação ou não do projeto. A empresa afirmou, porém, que os estudos apontaram ser a atual proposta a que causa menos impacto.
A Dersa informou que a população terá como se pronunciar sobre o plano nas próximas duas audiências públicas previstas, também sem data marcada. A previsão da empresa é que, se o traçado for aprovado, as obras comecem no segundo semestre deste ano.
Prefeitura
William Dib, que preside o consórcio que reúne as sete cidades do ABC, informou que o Rodoanel trará um desenvolvimento inegável à região, com favorecimento logístico. "Mas ela não pode trazer prejuízos ambientais." Ele disse estar aberto a discutir a questão e ter até um grupo técnico de trabalho, que se reúne semanalmente, para tratar do Rodoanel.
Segundo o secretário Osmar Mendonça, o traçado proposto corta o braço da Billings de ligação entre São Paulo e São Bernardo. "E vai margeando a represa na região do Alvarenga, pegando depois a Anchieta e passando entre a área de captação e de tratamento de água da Sabesp."
Mendonça disse que a prefeitura já fez pedidos de alteração de traçados. E foi atendida, em parte.
A prefeitura fez um pedido recente de informações ao Consema. Para saber, por exemplo, o impacto sonoro em moradias e escolas que estão a 300 metros do anel.

OESP, 17/05/2005, Metrópole, p. C1

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.