VOLTAR

Adolescentes indígenas são treinados para multiplicarem informações sobre HIV-aids e direitos em suas aldeias

COIAB - http://www.coiab.com.br/coiab.php?dest=show&back=index&id=325&tipo=N
09 de mar de 2009

Um grupo de 45 adolescentes das 23 etnias do Rio Negro do Amazonas participou no dia 5 de março da abertura da 1ª Oficina de Formação de Multiplicadores em Direitos Indígenas, DST/aids e Valorização da Vida, que aconteceu na Maloca da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN), em São Gabriel da Cachoeira (AM), até o dia 07 de março. O evento foi realizado pelo Fundo das Nações Unidas (UNICEF), Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB) e Oficina Escola de Lutheria da Amazônia (OELA), com apoio da prefeitura municipal, FOIRN, Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas (SUSAM) e Fundação Nacional de Saúde (FUNASA).

Após participarem da oficina, os adolescentes se tornarão multiplicadores das informações, em suas aldeias, sobre as temáticas que representam os principais desafios da juventude das diversas etnias do Rio Negro - região do Estado com altos índices de alcoolismo, consumo de drogas e suicídios entre os povos indígenas. "Cada um dos participantes desse evento volta com uma grande missão de treinar outros adolescentes, nas escolas, sobre seus direitos e prevenção de DST, aids, drogas e álcool", destacou o coordenador do Escritório do UNICEF em Manaus, Halim Antonio Girade.

A oficina é resultado do 1o Congresso de Adolescentes e Jovens promovido pelo UNICEF, em São Gabriel da Cachoeira (AM), em 2007. Depois disso, no mesmo ano, adolescentes indígenas de todo o Brasil, participaram de evento durante o II Encontro Nacional dos Povos das Florestas, em Brasília (DF), no qual também apontaram soluções para seus desafios. "É fundamental respeitar a decisão e as palavras dos adolescentes e, principalmente, esse encontro tem que ter vontade e decisões indígenas. Agradeço muito a cada jovem que percorreu grandes distâncias para estar conosco", completou Halim.

Na avaliação do prefeito de São Gabriel da Cachoeira, Pedro Garcia, iniciativas para enfrentar os desafios da juventude indígena somente terão resultado positivo se os próprios jovens forem protagonistas dessas atividades. "Temos que fortalecer parcerias, somar os programas de governo que existem em nosso município, o trabalho de ONGs e instituições religiosas, pois todos nós somos responsáveis por resolver esse problema, esclarecendo aos jovens quais são seus direitos como indivíduos, povos e comunidades", considerou.

O presidente da FOIRN, Abrahão Oliveira França, destacou que a oficina é mais um passo para amadurecer adolescentes e jovens que se somam ao movimento indígena. "Desde março de 2008 a FOIRN tem um departamento de adolescentes e jovens que tem o objetivo de promover articulações para apresentar propostas aos desafios da nossa juventude", informou.

Garantia de direitos
Na tarde do dia 5, o secretário executivo da COIAB, Sebastião Manchineri, apresentou e discutiu com os adolescentes a Declaração sobre os Direitos dos Povos Indígenas, aprovada pela ONU em 13 de setembro de 2007. "É importante que cada um de vocês conheça a situação dos seus direitos, que se sinta parte disto e tenha condições de defender e atuar nessa garantia", alertou.

Manchineri foi um dos indígenas brasileiros que participou da construção do texto da Declaração, na década de 1990, nas sedes da Organização das Nações Unidas (ONU), em Genebra, Suíça; e em Nova Iorque, Estados Unidos. "A declaração deve ser absorvida pelos indígenas para se tornar um instrumento de valorização de cada povo, que deve se sentir autônomo, livre e apto para exercer seus princípios", considerou.

São Gabriel da Cachoeira
O município de São Gabriel da Cachoeira ocupa uma área de 112.255 Km2, constituída por uma população de 29.975 habitantes, distribuídos na área urbana (12.373) e na área rural (17.574), de acordo com o Censo 2000 do IBGE. O município é considerado o mais indígena do país, com 80% da população identificando-se como "índios". A região do Rio Negro abrange 23 etnias indígenas que falam 22 línguas.

A Fundação Nacional de Saúde - FUNASA atende as populações indígenas do Alto Rio Negro por meio do Distrito Sanitário Especial Indígena - DSEI de São Gabriel da Cachoeira. Consta no Sistema de Informações de Saúde Indígena - SIASI, que a população indígena é de 26.385 - 13.702 (52%) do sexo masculino, e 12.683 (48%) do sexo feminino.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.