VOLTAR

Acidente com van mata 17

CB, Brasil, p. 11
03 de jun de 2005

Acidente com van mata 17

Quatro crianças e doze adultos Pankararu e Atikum estão entre as vítimas. Bombeiro é arrastado pelas águas, quando tentava o resgate, mas não sobrevive Acidente com van mata 17
Dezessete pessoas morreram ontem, depois que uma van da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) caiu, por volta das 10h20, dentro de um córrego na altura do quilômetro 17 da BR-232, em Pernambuco. Dezoito pessoas estariam dentro do veículo. 0 acidente ocorreu entre os municípios de Jaboatão dos Guararapes e Moreno, na região metropolitana do Recife, e foi provocado pelas fortes chuvas que caem em Pernambuco desde a madrugada de ontem. Entre os mortos, 16 eram índios dos grupos Pankararu e Atikum - quatro crianças - e um, funcionário da Funasa. Um bombeiro que tentou realizar o resgate também morreu afogado.
Desde a última segunda-feira os índios faziam exames e consultas médicas na capital pernambucana. 0 grupo seguia de volta do Recife para Jatobá, no sertão do estado, a 425 quilômetros da capital. 0 carro vinha pela rodovia BR-232 e tinha como destino o município de Jatobá. O motorista de um caminhão que vinha atrás da van disse ter visto quando o carro capotou e caiu no riacho. Ele chegou a ver crianças batendo nos vidros do carro, mas a porta principal do veículo ficou virada para dentro do córrego.
0 motorista Antonio Fernando da Silva Barros teria perdido o controle do veículo quando chovia muito. O carro capotou e caiu em um córrego que leva ao rio Duas Unas. Apenas um passageiro, o índio Alfredo Gomes da Silva, de 47 anos, sobreviveu. Ele está internado em um hospital da capital e não corre risco de morte.
Controvérsias
Há controvérsias sobre o número de passageiros no veículo. De acordo com a Funasa, 15 índios receberam autorização para viajar no veículo, mas uma lista com os nomes de 16 índios que teriam morrido por afogamento no acidente foi distribuída à imprensa. A Funasa confirmou, no início da noite, os dezesseis índios mortos. Outros dois teriam entrado no veículo depois de deixarem a capital.
Até o início da noite de ontem, a van permanecia presa numa galeria subterrânea sob a BR-232. Sete equipes de bombeiros e dois grupos de mergulho tentavam resgatar os corpos e o veículo submerso. 0 bombeiro Mário Antonio Gomes dos Santos, de 30 anos, morreu ao mergulhar para fazer o resgate, junto com o colega Adonai Cadus de Souza. 0 cabo de segurança partiu-se e ele foi levado pelas águas. Sousa tentou salvá-lo mas não conseguiu. Gomes dos Santos morreu antes de chegar ao Hospital Otávio de Freitas, no Recife.

CB, 03/06/2005, Brasil, p. 11

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.