VOLTAR

Abandono ameaça Parque Estadual Intervales

O Estado de São Paulo
Autor: Roberto Kishinami
03 de nov de 2002

Porção localizada no Vale do Ribeira não conta com vigilância permanente.
Fuga em desabalada carreira. É a imagem que vem logo à mente ao ver o estado das instalações de vigilância do Parque Estadual Intervales, depois que foram abandonadas pelos zeladores e depredadas pelos seus invasores, os palmiteiros. E a imagem corresponde aos fatos. Antonia Pereira de Ávila Vio, diretora-executiva da Fundação Florestal que administra o parque pelo governo, explica que a fundação decidiu, em fevereiro de 2001, pela retirada dos zeladores dessas instalações hoje destruídas, depois que seguidos confrontos entre guarda-parques e invasores resultaram em duas mortes - de um guarda e de um palmiteiro -, criando tensão entre os funcionários e as comunidades vizinhas. "Os vigias corriam risco de vida", justifica Antonia.
Aparentemente, uma medida de bom senso.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.