VOLTAR

7.500 Índios alagoanos recebem orientações sobre higiene, saúde e saneamento

Primeira Edição - http://www.primeiraedicao.com.br/?pag=alagoas&cod=10147
24 de set de 2009

Primeira aldeia visitada foi a de Kariri-Xocó em Porto Real do Colégio
Desde ontem (22/09) 7.500 índios alagoanos de 05 diferentes etnias recebem a I Oficina de Educação em Saúde e Mobilização Social, realizada pela Coordenação Regional da Funasa, que tem como principal objetivo promover o desenvolvimento de métodos e processos de educação em saúde e comunicação.

A aldeia de Kariri-Xocó em Porto Real do Colégio, 185 km de Maceió, foi a primeira a receber ontem a equipe da Funasa que passará toda a semana entre os índios realizando oficinas de saúde, higiene, saneamento e tratamento de lixo além de estimular estimulando a relação dos índios com a comunidade valorizando canais existentes de comunicação.

De acordo com o coordenador regional da Funasa em Alagoas, Roosevelt Patriota esta Oficina é fundamental para que os índios alagoanos possam melhorar seu habitat e a sua relação com a comunidade em que reside.
"Esta é apenas uma das ações que a Funasa vem realizando junto aos índios alagoanos, além das oficinas e outras atividades mantemos uma equipe multidisciplinar formada por vários profissionais de saúde que permanecem durante 40 horas semanais nas aldeias prestando atendimento ambulatorial e atividades de prevenção" explicou ele.

Já o assessor de comunicação e educação em saúde da Funasa/AL , José Carlos Freire lembrou que esta ação da Coordenação Regional da Funasa faz parte do esforço que o órgão vem fazendo para privilegiar uma melhor qualidade de vida para os índios.

"Além de resgatar a identidade local trazemos iniciativas que fazem com que eles se conscientizem da importância das ações preventivas e das boas relações com os habitantes do município em que eles estão inseridos" explicou ele.

Para o pajé Bonifácio e o cacique José Tenório a iniciativa é de suma importância para o desenvolvimento e melhoria da qualidade de vida dos índios de sua aldeia.

"É sempre bom que aconteça momentos como este, pois os técnicos acabam trazendo mais conhecimento para nossos índios" explicaram eles.
Uma das palestrantes da oficina a assistente social Helenice Peixoto lembrou a importância deste trabalho no relacionamento dos índios com os demais integrantes da comunidade.

"É em momentos como este que eles passam entender que como munícipes eles tem direitos e deveres inerentes a todos que fazem parte de um município e que todos devem ser respeitados e respeitar isto" finalizou ela.

As oficinas prosseguirão até o fim do ano nas demais aldeias indígenas alagoanas, como Karapató-Terra Nova, em São Sebastião, durante os dias 05 e 09 de outubro; Tingui-Botó, em Feira Grande,durante os dias 19 e 23 de outubro; Wassú - Kokal, em Joaquim Gomes, durante os dias 09 e 13 de novembro; Xucurus-Kariri Serra do Capela, em Palmeira dos Índios , durante 23 e 27 de novembro ; Xucurus-Kariri Mata da Cafurna, em Palmeira dos Índios , durante 07 e 11 de dezembro e Xucurus-Kariri Boqueirão, também em Palmeira dos Índios durante os dias 14 e 18 de dezembro.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.