VOLTAR

2005 Professores e lideranças Mayoruna participam do I módulo do curso de formação complementar em Tabatinga e Letícia

CTI-Manaus-AM
Autor: Murilo Caldas
05 de abr de 2005

De 15 de abril a 04 de maio, acontece em Tabatinga (Amazonas) e Letícia
(Colômbia), o I Módulo do Curso de Formação Complementar de Professores
Mayoruna. A idéia deste curso é capacitar os professores Mayoruna em
pesquisa para a elaboração de conteúdos específicos para o ensino de
História em suas escolas, baseadas na memória oral do seu povo. Sob
coordenação da Profa. Dra. Maria Elisa Ladeira, durante 20 dias, os
professores Beatriz Matos e Hilton Nascimento (Kiko) se revezarão para
ministrar 160 horas do curso, que está organizado em duas etapas.
A primeira, "O Território Mayoruna e a fronteira Brasil-Peru: do século
XVI aos nossos dias" será dividida em sete partes temáticas, num total
de 120 horas/aula. Espera-se contribuir para que os Mayoruna possam
compreender melhor os processos históricos que levaram à definição da
fronteira Brasil-Peru da forma que é hoje, e a partir daí, a compreensão
das diferenças entre os dois países. Além de ajudá-los a entender alguns
aspectos importantes correspondentes a vários períodos da história da
região - contada pelos não-indígenas - e a períodos da história da
ocupação Mayoruna e de outros povos naquela região.
As outras 40 horas/aula foram reservadas ao Curso de Computação Básica.
Serão 20 dias de aulas em que professores e lideranças Mayoruna
receberão orientações sobre como utilizar as principais ferramentas de
um computador. A idéia é desmistificar esta máquina e introduzir os
professores e lideranças indígenas à nova tecnologia. Serão três horas
de atividades por dia em que eles seguirão uma cartilha de computação
básica, elaborada pelo CTI. Os textos produzidos pelos alunos durante a
realização daquele curso serão utilizados como exercícios de digitação
nas aulas deste.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.