VOLTAR

Yanomamis: casos de covid aumentam 250%

OESP BR Político - https://brpolitico.com.br/noticias
19 de nov de 2020

Yanomamis: casos de covid aumentam 250%

Equipe BR Político

Quase oito meses após a primeira morte por covid-19 entre os Yanomami, o cenário sanitário na Terra Indígena Yanomami é de total descontrole, informa o Instituto Socioambiental. De acordo com o relatório "Xawara: rastros da Covid-19 na Terra Indígena Yanomami e a omissão do Estado"VER ARQUIVO , lançado nesta quinta-feira, 19, e elaborado pela Rede Pró-Yanomami e Ye'kwana e pelo Fórum de Lideranças da TIY, o número de casos confirmados no território saltou de 335 para 1.202 entre agosto e outubro - um aumento de mais de 250% de casos nos últimos três meses. Segundo o monitoramento da Rede Pró-YY, até o final de outubro já se somaram 23 óbitos por covi-19, entre confirmados e suspeitos.
Já existem casos confirmados em 23 das 37 regiões da terra indígena, localizada entre os estados de Roraima e Amazonas e lar de cerca de 26,7 mil indígenas, incluindo grupos isolados - ainda mais vulneráveis a doenças. O relatório aponta que 10.000 pessoas, mais de um terço da população total, já tenham sido expostas ao vírus. Desde junho, o Fórum de Lideranças Yanomami e Ye'kwana pede pela retirada dos milhares de garimpeiros ilegais que atuam no território e são vetores da doença. A campanha #ForaGarimpoForaCovid, que tem o apoio de aliados brasileiros e internacionais, já conta com mais de 410 mil assinaturas em apoio à luta indígena. "Queremos protocolar esse documento perante as autoridades brasileiras. É um instrumento de denúncia dos problemas da invasão dos garimpeiros, da contaminação do meio ambiente como os nossos rios e ainda sobre as doenças, essa xawara (epidemia), que tem matando muita gente", afirma Dário Kopenawa Yanomami, vice-presidente da Hutukara Associação Yanomami.

https://brpolitico.com.br/noticias/yanomamis-casos-de-covid-aumentam-25…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.