VOLTAR

Vacinação indígena no Alto Purus

Página 20 - www2.uol.com.br/pagina20
03 de ago de 2008

Funasa supera meta e alcança 103 das 104 aldeias existentes na região

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) no Acre superou as expectativas para a campanha de vacinação indígena no Vale do Alto Purus, realizada de 22 de abril a 23 de maio. O levantamento da ação, concluído na semana passada, aponta que quase todas as metas pactuadas foram superadas em muito, como vem acontecendo todos os anos.

A principal meta era atingir 73 das 104 aldeias existentes na região, porém foram alcançadas 103 aldeias, 141% da meta. A campanha, lançada na aldeia Buenos Aires, em Sena Madureira, atingiu quatro municípios acreanos (Assis Brasil, Manuel Urbano, Santa Rosa e Sena Madureira) e dois amazonenses (Boca do Acre e Pauini).

Ainda pelas metas pactuadas, de uma população 7,7 mil índios na região, 5,4 mil deveriam receber a vacinação, porém a campanha atingiu 5,8 mil (107,9% da meta). Os números são motivo de comemoração no Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Purus (Dsei-Arpu), da Coordenação Regional da Funasa no Acre (Core-AC).

Cerca de 160 profissionais participaram da campanha que atingiu os povos de sete etnias. Eles realizaram multivacinação para imunização contra diversas doenças, como hepatite B, febre amarela, tuberculose, tétano, difteria, coqueluche, rotavírus humano, gripe (influenza), paralisia infantil, pneumonia, rubéola e varicela, dentre outras. A campanha de vacinação específica contra rubéola, que está acontecendo em todo o país, foi realizada em conjunto com a multivacinação indígena.

De acordo com a coordenação do Dsei-Arpu, foram aplicadas quase 11,5 mil doses de 13 vacinas diferentes, sendo que dentre elas algumas para prevenir mais de uma doença (tríplice viral, tetravalente, pentavalente...). A prioridade foi atingir as crianças de zero a quatro anos de idade, mulheres em idade fértil (12 a 49 anos) e idosos (mais de 60 anos).

A campanha de vacinação indígena, que acontece anualmente, é realizada através de uma parceria entre o Ministério da Saúde (MS), Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), Funasa, Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), estados e municípios. A última aconteceu simultaneamente em 15 Dseis, em todo o país.

Segundo a coordenação da Funasa no Acre, a cada ano a campanha vem ampliando seu alcance e superando mais as metas pactuadas. O coordenador regional, José Carlos Lira, diz que o objetivo é atingir a maior cobertura vacinal possível aumentando a imunização dos povos indígenas contra várias doenças.

"Estamos contentes com esse resultado que só é possível graças à determinação do governo, à grande colaboração de nossos parceiros e à dedicação de todos os profissionais envolvidos. Trabalhamos para que cada vez mais o alcance seja maior, contribuindo assim com a melhoria da saúde indígena, redução da mortalidade infantil e, em suma, com a melhoria da qualidade de vida desses povos."

TRABALHO ÁRDUO

Percorrer longas distâncias em áreas inóspitas, atravessando ramais ou pequenas trilhas pela floresta ou navegando vários dias pelos rios sob sol e chuva, enfrentando lama, espinhos e insetos. Assim é o trabalho da abnegada equipe de saúde indígena da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que conta ainda com a colaboração de parceiros.
Como as demais ações da área de saúde indígena, as campanhas de vacinação exigem grande trabalho. Envolvem um valor alto em recursos, amplo planejamento, muito treinamento, logística complicada e a abnegação dos profissionais envolvidos, que durante várias semanas percorrem todas as aldeias do Acre e Sul do Amazonas.

Cleo Leon, uma das profissionais do Dsei-Arpu, diz que o trabalho é árduo, mas também é recompensador. "Não é fácil não. A gente deixa o conforto do lar, a família e passa várias semanas viajando por regiões de difícil acesso, dormindo mal, enfrentando sol e chuva, mas é recompensador. Estamos cumprindo o nosso papel e, além do sentimento do dever cumprido, é gratificante sabermos que estamos fazendo saúde preventiva, ajudando a prevenir doenças e, de certa forma, até salvando vidas."

Números da vacinação indígena no Alto Purus

Aldeias Existentes 104
Meta pactuada 073
Número alcançado 103
* Percentual alcançado 141%
* Percentual a mais 041%

População Existente 7.756
Meta pactuada 5.444
Número alcançado 5.874
* Percentual alcançado 107,9%
* Percentual a mais 7,9%

* Em relação à meta

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.