VOLTAR

Unemat cria observatório de políticas públicas sobre Covid-19 direcionado aos povos tradicionais

Rádio Agência Nacional - https://radioagencianacional.ebc.com.br/direitos-humanos/audio/2020-07/unem
Autor: Maíra Heinen
20 de jul de 2020

Pesquisadores da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) criaram um observatório de políticas públicas sobre Covid-19 para povos e comunidades tradicionais no estado. Essas populações incluem indígenas, quilombolas, retireiros, extrativistas, pescadores artesanais, ciganos, entre outros.

O trabalho do grupo ainda está começando, e a intenção do observatório é avaliar de que forma estas populações mais vulneráveis estão sendo atendidas no combate à doença. Os integrantes também querem estudar a melhor maneira de aplicar medidas de proteção a esses povos, elaborar pareceres jurídicos, propor projetos de apoio e acompanhar atos administrativos e leis que garantam direitos.

O observatório conta com integrantes de diversas áreas como, história, antropologia e direito.

O professor de história da Unemat, Luciano Pereira da Silva, afirma que a demora do Poder Público para agir agravou a situação de muitos desses povos.

A expectativa dos pesquisadores é que, a partir dessas ações e da divulgação desses dados, a sociedade e o governo sejam sensibilizados para enfrentar a Covd-19 também em relação aos povos indígenas e comunidades tradicionais.

Sobre a situação dessas populações, principalmente em relação aos indígenas, o governo do estado afirmou, em nota, que instituiu o Grupo de Trabalho Central para desenvolver ações de monitoramento e estratégias para reduzir a propagação da Covid-19 nos territórios.

Também informou que atua na Alta Complexidade e vai auxiliar as demais instituições naquilo que for necessário, como distribuição de medicamentos, ampliação no número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva, entre outras ações.

https://radioagencianacional.ebc.com.br/direitos-humanos/audio/2020-07/…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.