VOLTAR

Tranquilidade e atividades ecológicas - carnaval de Minas Gerais oferece alternativas à folia

Ambiente Brasil - http://noticias.ambientebrasil.com.br
Autor: Danielle Jordan
16 de fev de 2010

Em Minas Gerais, quem quiser fugir da folia, pode optar por um passeio em um dos parques estaduais. A maior reserva de Mata Atlântica mineira, o Parque Estadual Rio Doce, é uma das alternativas para visitação.

Além das belezas naturais, os turistas podem praticar atividades como rapel, arvorismo e oficinas de educação ambiental e trilhas. Uma exposição permanente exibe os sons de animais silvestres, o artesanato local e uma maquete do parque.

O parque oferece ainda uma área para camping, com capacidade para 250 barracas.

O Parque Estadual do Rio Doce fica no sudoeste do Estado, na região do Vale do Aço, nos municípios de Marliéria, Dionísio e Timóteo. São 36.970 hectares ao todo, com quarenta lagoas naturais, sendo uma das principais, a Lagoa Dom Helvécio, com 6,7 Km2 e profundidade de até 32,5 metros.

Outra opção é o Parque Estadual do Ibitipoca. O local é um dos principais destinos do ecoturismo em Minas. São 1500 hectares de área e o parque também oferece espaço para acampamento. O Centro de Visitantes apresenta uma exposição interativa com informações sobre a fauna, flora, recursos hídricos e paisagens locais.

As atrações mais procuradas, segundo da assessoria de comunicação, são a Ponte de Pedra, a Janela do Céu, os mirantes, as 14 grutas, cachoeiras e lagos formados pelas águas cristalinas dos rios do Salto e Vermelho.

O parque conta também com exemplares de orquídeas e bromélias, sendo algumas espécies ameaçadas de extinção. A fauna também merece destaque, com espécies como a onça- parda, o lobo-guará e o primata guigó.

Para chegar ao parque, que fica distante 241 km de Belo Horizonte, o melhor acesso é seguir em direção a Juiz de Fora pela BR-040 e entrar no trevo de acesso à BR267, em direção a Lima Duarte. São mais 27 Km de estrada de chão para chegar ao Distrito de Conceição de Ibitipoca e mais 4 Km até a portaria do parque.
*Com informações da ascom.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.