VOLTAR

Trabalho escravo

Jornal da Tarde (São Paulo - SP)
19 de dez de 1994

A pesquisadora inglesa Alison Sutton da Universidade de Cambridge concluiu que os seringueiros das áreas do Tejo e Juruá, no Acre, trabalham como escravos. As conclusões estão no livro "Trabalho Escravo, um Elo na Cadeia de Modernização do Brasil de Hoje", lançado pela Comissão Pastoral da Terra.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.