VOLTAR

Trabalhador de Belo Monte desafia decisão do TRT e mantém greve

O Globo, Economia, p. 24
03 de mai de 2012

Trabalhador de Belo Monte desafia decisão do TRT e mantém greve
Empregados e consórcio não chegam a acordo sobre melhoria salarial

Danilo Fariello
danilo.fariello@bsb.oglobo.com.br

BRASÍLIA. Os trabalhadores da usina hidrelétrica de Belo Monte não voltaram ao trabalho ontem, rompendo acordo celebrado na sexta-feira passada com o Consórcio Construtor diante da Vara do Trabalho em Altamira (PA). O consórcio avalia agora acionar a o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) no Pará, que declarou a greve ilegal, para garantir o retorno dos operários à obra.

A construção de Belo Monte, hidrelétrica que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), está interrompida há dez dias. Trabalhadores e empregadores não chegam a um acordo. Os funcionários pedem pagamentos maiores pela cesta básica e intervalo menor entre as viagens para visitar suas famílias, em geral em outros estados.

Segundo o Consórcio Construtor Belo Monte, da mesma forma que nos dias anteriores ao acordo, grevistas impediram ontem o acesso dos ônibus até os canteiros da obra. Isso, na prática, impediu a retomada da construção. De acordo com a assessoria de imprensa do consórcio, toda a estrutura necessária para retomada dos trabalhos foi oferecida.

A Justiça declarou a greve ilegal porque ocorre fora da data- base da categoria, que é novembro. Ao declarar a ilegalidade, o TRT determinou multa diária de R$ 200 mil ao Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Pesada no Pará (Sintrapav) em caso de continuidade da greve a partir de ontem, como ocorreu. Mas a multa só será aplicada quando o consórcio reclamar oficialmente na Justiça.

O Globo, 03/05/2012, Economia, p. 24

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.