VOLTAR

Sucesso da Roça das Mulheres será replicado em mais uma aldeia Kayapó

FUNBIO funbio.org.br
08 de fev de 2018

O projeto teve início há um ano. Frutificou, vai contribuir para a segurança alimentar da aldeia e promoveu a inclusão das mulheres em discussões e decisões. O sucesso de Menire Nhô Puro /Roça das Mulheres, 13 hectares geridos por 67 indígenas da aldeia Kayapó Capoto, no Mato Grosso, levou o cacique Raoni a solicitar a replicação da iniciativa. A segunda Roça das Mulheres deverá ser criada na aldeia Metuktire, a 30 quilômetros da primeira, onde as 62 mulheres que nela vivem representam cerca de 22% da população. Passada a estiagem, a roça na aldeia Capoto recebeu duas mil mudas de banana e 100 de pequi, além de 610 árvores frutíferas. O excedente será vendido e gerará renda. O projeto, cujo nome oficial é Sustentabilidade Alimentar e Nutricional do Povo Mebengokré/Kayapó, é coordenado pelo Instituto Raoni e tem apoio do Fundo Kayapó.

"A roça comunitária dá grande visibilidade às mulheres e modificou o dia a dia na aldeia: anteriormente as reuniões eram feitas somente com a participação dos homens. Agora elas também participam e ganharam voz nas decisões", conta Karina Paço, do Instituto Raoni, coordenadora do projeto.

Este ano, o projeto planeja também a produção de excedente para comercialização e geração de renda. E ainda, uma nova roça para produção de arroz e o início da produção de sal nativo vegetal a partir de aguapés.

Numa primeira etapa, em 2017, mulheres e crianças participaram de oficinas em torno de conceitos como segurança alimentar. Além do Fundo Kayapó, o Instituto Ekos Brasil apoia essa iniciativa, que beneficia mais de 600 indígenas da região.

https://www.funbio.org.br/seguranca-alimentar-em-aldeia-kayapo/

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.