VOLTAR

Sistema de alerta registra muitos focos de fogo em áreas indígenas

Tribuna da Imprensa- Rio de Janeiro-RJ
28 de jun de 2001

- O índice de queimadas da terceira semana de junho caiu em relação à semana anterior, em função da entrada de frentes frias e ocorrência de chuvas. O total de focos detectados pelos satélites Noaa-12 e 14 foi de 1.148, contra 1.636 da segunda semana. Nesta semana, o sistema de alerta contra fogo em áreas protegidas, montado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para o Ministério do Meio Ambiente (MMA), registrou numerosos focos em áreas indígenas.Mato Grosso ainda é o Estado que mais queima, aparentemente antecipando o uso agrícola do fogo, como forma de prevenir a suspensão estadual de autorizações para queimar, que vigorou no ano passado. Do total de 1.148 queimadas registradas na semana, 795 ou 69% ocorreram em Mato Grosso. E a grande maioria esteve concentrada em torno das cidades de Sinop, Alta Floresta, Porto dos Gaúchos e Lucas, nas margens da rodovia Cuiabá-Santarém.O sistema de alerta contra fogo em áreas protegidas compara automaticamente a localização dos focos com o perímetro de áreas indígenas, parques nacionais, reservas extrativistas, florestas nacionais e outras unidades de conservação federais e envia um alerta por email às autoridades competentes, caso algum foco tenha sido detectado dentro destas áreas protegidas. Nenhum incêndio foi verificado dentro de unidades de conservação, mas as áreas indígenas estão ardendo.Somente entre os dias 23 e 27 de junho, foram atingidas as áreas indígenas de Kanela-Buriti Velho (um foco), no Maranhão; Menkragnoti, no Pará (um foco); Aripuanã (um foco), Maraiwatsede (um foco), Pareci (dois focos), Tirecatinga (três focos), Pimentel Barbosa (dois focos), Utiariti (um foco) Areões (dois focos) e Sangradouro de Volta Grande (um foco), em Mato Grosso.Os parques indígenas do Xingu, em Mato Grosso, e do Araguaia, no Tocantins foram os que mais queimaram. No Xingu, foram quatro focos no dia 23, um no dia 24 e outro no dia 26. No Araguaia, só no dia 26, os satélites contabilizaram 16 focos, pelo menos um deles ardeu durante mais de 12 horas, pois foi detectado em quatro passagens diferentes dos satélites Noaa-14 e 12, entre 8h e 21h05 .

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.