VOLTAR

Sete etnias são beneficiadas com a homologação de terras indígenas

Site da Funai
Autor: (Simone Cavalcante)
11 de dez de 2003

Os índios Terena e Guató, do Mato Grosso do Sul, Kulina, do Acre, Guarani Mbya, Kaingang e Guarani, do Rio Grande do Sul e Parecis, de Rondônia, cujas terras indígenas estavam demarcadas pela Funai e aguardando a homologação da presidência da república, podem comemorar. O presidente Lula assinou, no final da tarde de ontem (10), a homologação de seis terras indígenas, totalizando 133.388 hectares.

São elas: Terra Indígena Guató, localizada no município de Corumbá (MS), com 10.900 ha; Terra Indígena Limão Verde, no município de Aquidauana (MS), com 4.086, habitada pelos Terena; Terra Indígena Janinawá/Envira, em Tarauacá (AC), com 82 mil ha, onde moram os Kulina; Terra Indígena Varzinha (RS), com 795 ha, nos municípios de Caraa (RS) e Maquine (RS), da etnia Guarani Mbya; Terra Indígena Nonoai, situada nos municípios de Nonoai (RS), Rio dos Índios (RS), Planalto e Gramado dos Loureiros (RS), com 18.808h, onde habitam os Kaingang e Guarani e Terra Indígena Kwaza do Rio São Pedro, nos municípios de Kwaza (RO) e Aikana (RO), com 16.799ha, onde habitam os Paresis.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.