VOLTAR

Sertanista que morreu passou 10 anos entre os índios

A Notícia (Manaus - AM)
06 de set de 1984

A notícia informa que o sertanista Lindolfo Nobre Filho (vítima do ataque dos indígenas em Atalaia do Norte) acreano de 48 anos havia passado 10 anos de sua vida trabalhando na Funai com os índios. De acordo com Aldo costa, delegado da Funai, ele é o sexto funcionário que morre naquela região. A reportagem traz também a comoção de familiares e amigos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.