VOLTAR

Série retrata a luta de três lideranças indígenas reconhecidas pela ONU e ameaças de morte

OESP https://sustentabilidade.estadao.com.br
19 de fev de 2019

Expliquei rapidamente em textos anteriores, mas farei novamente para quem não leu, que esse espaço agora será preenchido- já estou fazendo isso na verdade - para também divulgar iniciativas, ideias, propostas, ações e soluções que envolvam os povos da floresta, sejam eles indígenas, quilombolas ou ribeirinhos. A ideia é que as pessoas possam conhecer mais sobre as pessoas que habitam a Amazônia e como elas são impactadas por ações que se auto-intitulam em nome do desenvolvimento e do progresso.

A ideia é que você, leitor, possa receber informações do mundo de lá e que as mesmas auxiliem a tirar da invisibilidade esses povos que o governo tanto fala e esbraveja como sendo os impeditivos da prosperidade brasileira. O objetivo é munir o debate com dados para que ele seja sadio, consciente e consistente.

Semana passada escrevi sobre a produção recorde de pequi pelo povo Kisedje, do Xingu. Hoje trago notícias sobre a estreia da série Guerreiros da Floresta, que acontece amanhã, quarta-feira (2o de fevereiro), no canal Futura. Com 13 episódios, de 26 minutos cada, a série traz à tona a luta de três grandes lideranças indígenas do Brasil em defesa da sustentabilidade da Amazônia e da herança de seus povos. São eles: Davi Kopenawa, de Roraima; Almir Suruí, de Rondônia e Ninawa Huni Kuin, do Acre.

"A série estreia num momento de transição política dos mais importantes de nossa história recente. Esperamos que os temas abordados, promovam, de alguma forma, um debate consciente e necessário para as demandas indígenas e a relação harmoniosa entre todos os povos", afirma Marcelo Braga, da Santa Rita Filmes, produtora responsável.

Dentre seus assuntos-chave, a série explora, por meio do relato dos indígenas, os anos de invasão do homem branco e a devastação resultante da mesma e como eles sobreviveram a essa situação. Os três guerreiros escolhidos como personagens da série são perseguidos no Brasil por fazendeiros e mineradores e reconhecidos internacionalmente pela ONU. A série aprofunda-se nas culturas de cada uma das etnias, abordando suas semelhanças e particularidades de estilo de vida, além da luta por preservação e sobrevivência.

"Assumimos a narrativa do ponto de vista de alguém visto sempre como a terceira pessoa. Não contamos a história de indígenas, damos a voz para que eles contem suas histórias. O que o Guerreiros traz é um desafio para esse momento tão anti-indigenista que vivemos. Nos deslocamos do eixo do homem branco e mergulhamos no ponto de vista do brasileiro original", conta a diretora Andrea Pilar Marranquiel.

EXIBIÇÕES NO CANAL FUTURA

Todas as quartas-feiras, a partir do dia 20/02/2019, às 22h30. O 13o e último episódio será exibido no dia 15/05/2019, às 22h30. Confira o teaser aqui.

*

Se você também conhece uma boa iniciativa vinda da Amazônia, conta para mim aqui no email: eunafloresta@gmail.com

E segue também o perfil do blog no Instagram: eunafloresta

https://sustentabilidade.estadao.com.br/blogs/eu-na-floresta/serie-retr…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.