VOLTAR

Ser-Afim Espaço Natural recebe lançamento de livro "Una Isi Kayawa"

Tribuna Hoje - thhp://ewww.tribunahoje.com
Autor: Luana Carvalho
12 de Jan de 2015

Trabalho pioneiro reúne profundo conhecimento das plantas e práticas medicinais do povo indígena "Huni Kuin"

No dia 13 de Janeiro, às 19h30, no Ser-Afim Espaço Natural, acontece o Lançamento do livro Una Isi Kayawa - Livro da cura Huni Kuin do Rio Jordão em Maceió. Este é um trabalho pioneiro, que reúne o profundo conhecimento das plantas e as práticas medicinais deste povo indígena até então acessível apenas pela tradição oral, este saber ancestral começa agora a se tornar disponível para toda a humanidade.

Espalhado pelo estado do Acre, sul do Amazonas e Peru, o povo indígena Huni Kuin sempre encontrou a cura na natureza, graças à sua estreita ligação com a floresta e seu conhecimento milenar das plantas. Cultivadas em seus jardins medicinais, diferentes espécies tratam enfermidades físicas e espirituais. Soluções naturais que servem tanto para acabar com uma dor de dente quanto para ajudar a se concentrar na pesca e na caça, ou ainda dar um fim à má sorte de homens e cachorros.

Mais de 100 espécies terapêuticas estão agora apresentadas em textos e imagens no recém-lançado "Una Isi Kayawa - Livro da cura Huni Kuî do Rio Jordão" (Editora Dantes, 260 páginas), organizado pelos pajé Agostinho Manduca Mateus Ika Muru e o etnobotânico Alexandre Quinet, pesquisador do Jardim Botânico do Rio. A publicação era um sonho antigo do pajé Manduca, falecido em 2011: perpetuar no registro impresso a cultura medicinal do seu povo, antes restrita à transmissão oral. Fruto de um longo processo, que incluiu cinco expedições ao Rio Jordão (Acre), entrevistas com pajés, coletas e catalogação de material botânico, além de residências de tradutores no Rio de Janeiro, o projeto é uma troca inédita de experiências entre o Centro Nacional de Conservação da Flora do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico e os Huni Kuin. Incorpora a aplicação da pesquisa técnico-científica do "homem branco" ao conhecimento das culturas tradicionais dos índios.

A edição do "Livro da cura", que conta ainda com fotografias de Gabriel Rosa e do artista plástico Ernesto Neto, entre outros, se guia esteticamente pelos cadernos e desenhos dos pajés. Experimenta uma diagramação de janelas e proporções livres e orgânicas, além de usar um papel feito de plástico reciclado, que o torna resistente às condições úmidas da floresta, onde deverá ser distribuído.

Representando a tribo, o lançamento conta com a presença dos filhos do Pajé Agostinho, Ayani e Isaka, falando sobre a construção e proposta da obra, além de trazer debates sobre a questão da medicina natural.

Outras atividades:

Aproveitando a presença dos representantes da tribo Huni Kuin em Maceió, teremos a oportunidade de realizar uma "Oficina de artesanato Huni Kuin com miçangas".

Os Huni Kuin possuem uma vasta cultura material que vai desde a tecelagem em algodão, com tingimento natural, cerâmica e miçangas onde são impressos os kenê (desenhos gráficos de seres da floresta), cujo significado está relacionado à coragem, força, poder, sabedoria e proteção. O artesanato se configura como uma das principais fontes de renda das famílias Huni Kuin, devido ao seu belo design tem uma grande aceitação no mercado regional, nacional e internacional.

A oficina acontece nos dias 14 e 15 de janeiro, e será ministrada por Ayani, também no Ser-Afim Espaço Natural, a partir das 15h, com o investimento de R$ 80,00.

SERVIÇO:

O que: Lançamento do livro Una Isi Kayawa - Livro da cura do povo Huni Kuin do Rio Jordão
Quando: 13 de Janeiro, terça-feira, às 19h30.
Quanto: Gratuito
Onde: Ser-Afim Espaço Natural (Rua Paulina Maria Mendonça, 141 - Jatiúca)

O que: Oficina de artesanato Huni Kuin com miçangas
Quando: 14 e 15 de Janeiro.
Quanto: R$ 80,00
Onde: Ser-Afim Espaço Natural (Rua Paulina Maria Mendonça, 141 - Jatiúca)
Inscrições: nome e telefone para moa.amanda@hotmail.com.

http://www.tribunahoje.com/noticia/128787/entretenimento/2015/01/12/ser…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.