VOLTAR

Sede regional de Funai é transferida pra Juína: Índios protestam

Olhar Direto
Autor: Ana Paula Bortoloni
31 de mar de 2008

Índios de diversas etnias como Bacairi, Terena, Xavantes, Umutina, Bororó, Chiquitano, Guató e Nambiquara chegam hoje à tarde a Cuiabá para protestar contra a transferência da sede regional administrativa da Funai (Fundação Nacional do Índio) da Capital para Juína (737 km de Cuiabá).

A transferência foi determinada por portaria publicada no Diário Oficial da União no dia 26 de março deste ano. Por ela, a Funai estabelecia que a sede regional da Capital, que hoje tem autonomia financeira, fosse transformada em núcleo de apoio operacional. O sentido inverso ocorre em Juína, que passou a ser sede regional do órgão federal.

Hoje, devido às mudanças, outra portaria foi publicada no Diário Oficial exonerando dois servidores de Cuiabá: o diretor regional Carlos Márcio Vieira Barros e o substituto do administrador regional Benedito César Garcia Araújo. A mesma folha traz a nomeação de Antonio Carlos Ferreira de Aquino para o cargo de substituto do administrador regional. Ele é lotado em Juína. Todos são cargos comissionados.

A alteração ocorreu após uma reunião de índios da região de Juína, das etnias Enawene-Nawe, Arara, Apiacá, Cinta-Larga e Eriktbasa com a presidência da Funai, em que exigiam a criação de sede regional naquele município, o que acarretaria o fechamento de outra unidade, como aconteceu em Cuiabá. A partir de agora, Juína vai ser o centro administrativo das unidades de Rondonópolis, Cuiabá e Vilhena (RO).

Em Cuiabá, segundo informou um servidor que pediu para não ser identificado, o clima é de tensão, já que até o momento não há informações de possíveis transferências da Capital para Juína, para atender a demanda do órgão. Também não se sabe se haverá mais exonerações de funcionários.

"Mas (a sede) de Cuiabá era ordenadora de despesas. Tudo ocorria por aqui e Juína é muito longe. Toda dotação orçamentária vinda de Brasília passava por aqui. Não existe nem serviço de malote que chega até Juína, como vai ser feito esse atendimento para os índios lá? Os índios daqui ficarão isolados", disse o mesmo servidor.

Outra dificuldade colocada pelos índios é devido a pouca estrutura da sede de Juina, que conta com menos de dez servidores, enquanto em Cuiabá eram cerca de 50 funcionários. O protesto na Funai de Cuiabá deve ter início por volta das 14 horas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.