VOLTAR

Secretário discute melhorias na educação indígena com representantes de etnias

Folhamx- http://www.folhamax.com.br
19 de out de 2016

O secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer, Marco Marrafon, recebeu, nesta terça-feira (18.10), na sede da Seduc-MT, 10 representantes da educação indígena no estado. Na pauta da reunião estavam questões pertinentes às escolas indígenas e às etnias. Atualmente, mais de 10 mil alunos indígenas são atendidos em Mato Grosso.

Além das condições gerais das 71 escolas estaduais indígenas, os participantes também discutiram sobre a necessidade de elaboração de uma política de educação voltada exclusivamente para atender aos interesses dos povos. Marrafon também se mostrou sensível à construção de uma escola no município de Brasnorte (580 km de Cuiabá), uma reivindicação antiga da etnia Enawenê-nawê.

"Pelos encaminhamentos apontados, temos certeza de que esse governo irá fazer história dentro da política de educação escolar indígena", afirmou Filadelfo de Oliveira Neto, índio Umutina do município de Barra do Bugres e presidente do Conselho de Educação Escolar Indígena (CEEI). Atualmente há em Mato Grosso 43 etnias indígenas.

Representantes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) informaram, ainda durante a reunião, que nos próximos processos seletivos 5% do total de vagas ofertadas serão reservadas aos indígenas.

O secretário reforçou a importância de o Governo ter um olhar diferenciado à educação escolar indígena. "Precisamos retomar a discussão de melhorias na estrutura das escolas e, também, construirmos juntos uma nova política educacional para os povos indígenas", afirmou Marrafon.

Também estiveram presentes no encontro representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai), Casa Civil e União dos Dirigentes Municipais de Educação de Mato Grosso (Undime).

http://www.folhamax.com.br/cidades/secretario-discute-melhorias-na-educ…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.