VOLTAR

Seca ameaca biossistema

JB, Pais, p.A7
19 de out de 2005

Seca ameaça biossistema
Baixa no nível dos rios encalha pirarucus
Orlando Farias
Os prefeitos dos municípios de Novo Airão e Iranduba, Wilton Santos e Nonato Lopes, apresentaram ontem um pedido dramático de salvamento para pirarucus e peixes-boi que começam a ficar presos em lagos e igapós dos dois municípios. O pirarucu, maior peixe dos rios amazônicos, é uma espécie em extinção e sua captura é proibida por lei. Atualmente a seca é a pior ameaça às espécies.
Na reserva biológica de Anavilhanas, que congrega o segundo maior arquipélago de água doce do mundo, moradores do local ajudaram no salvamento de dez pirarucus que ficaram isolados num braço de rio. Os moradores soltaram os peixes em águas mais profundas.
No lago do Iranduba, o prefeito Nonato Lopes montou provisoriamente uma equipe de vigilância para não permitir a entrada de barcos pesqueiros no local, considerado o maior depositário de peixes das proximidades de Manaus.
-Se as águas do lago baixarem muito, vamos dar o nosso jeito de retirar todo o peixe de lá e soltar em criatórios naturais - sustentou.
Os dois prefeitos decidiram unir forças porque os municípios de Novo Airão e Iranduba concentram o maior número de hotéis de selva na Amazônia. Antes da chegada do Ibama e do ministério do Meio Ambiente com uma operação de salvamento na região, eles esperam que os próprios hotéis se encarreguem de retirar todo o peixe encalhado em suas áreas, fazendo a transferência para o leito dos rios ou lagos ainda não atingidos pela seca.
Pelo menos 15 outras prefeituras do Amazonas deixaram de lado outras atividades para se concentrar exclusivamente no atendimento das comunidades e tentativa de salvar a principal fonte de proteína e riqueza dos ribeirinhos: o peixe. Em Manacapuru, município a 83 km de Manaus, a prefeitura local reuniu dezenas de barcos e pescadores num mutirão para desencalhar peixes da reserva biológica do Piranha, uma das mais piscosas do estado.
- Transferimos cerca de 50 toneladas de peixe da reserva para o rio Manacapuru - informou o prefeito Washington Régis, prevendo que a ação vai minimizar as perdas da seca.
A 500 km de Manaus, em Tefé, o Médio Solimões, assiste a luta do Ibama e da prefeitura que atuam no salvamento de cerca de 30 peixes-boi.
- Há vigilância permanente no local e ao menor sinal de falta de oxigênio no lago, vamos agir para transferir de lá todos os peixes - diz o vice-prefeito Abel Alves.
Na reserva biológica de Mamirauá, a seca mais rigorosa alertou os coordenadores do projeto de manejo, que ampliaram o abate de pirarucu em mais 20% em lagos ameaçados de secarem totalmente.

JB, 19/10/2005, p. A7

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.