VOLTAR

Satélite registra focos de calor na reserva indígena dos Xavantes

O Diário de Primavera
10 de jul de 2007

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 10 focos de calor em aldeias indígenas de Mato Grosso nas últimas horas. Os focos foram registrados em cinco Terras Indígenas diferentes, além de um foco em um Parque Estadual. O município com o maior número de registros nesse período foi Confresa, com 13 focos de calor. Logo em seguida vem São Félix do Araguaia, com seis focos, e Porto dos Gaúchos, com quatro.

O satélite indica a existência de focos de calor nas terras indígenas Bakairi, em Paranatinga; Sangradouro, em Poxoréu; Capoto/Jarina, em Peixoto de Azevedo; Parabubure, em Campinápolis; e Pirineus de Souza, em Comodoro. Também há registros de foco de calor no Parque Estadual do Araguaia, em Novo Santo Antônio.

Mato Grosso vem registrando, desde o início do ano até agora, os maiores índices de queimadas do país. O Estado voltou ao 1o lugar no ranking brasileiro. Quem revela essa imagem negativa são os satélites monitorados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A maior incidência é na região Médio-Norte do Estado. De acordo com o Inpe, já foram registrados mais de 3.416 focos de calor este ano, mais do que no mesmo período do ano passado, que registrou 2.526 focos. A situação é muito crítica também em Cuiabá, com as queimadas urbanas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.