VOLTAR

"Sala de situação" mantém confirmação de incêndio em estação ecológica no Tocantins

ICMBio - www.icmbio.gov.br
17 de jun de 2008

No boletim liberado nesta terça-feira (17), a "sala de situação" montada pelo Instituto Chico Mendes e Ibama mantém o alerta vermelho (confirmação de incêndio) na Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins. A "sala" está funcionando desde a segunda-feira em Brasília, na sede do PrevFogo (Centro Nacional de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais), e faz parte do monitoramento conjunto de queimadas e incêndios florestais nas unidades de conservação (UCs). A ação visa a evitar ou a amenizar os efeitos dos muitos focos de calor que normalmente são registrados nesta época do ano. O grupo de trabalho atuará durante todo o período de seca na maior parte do País, que vai até outubro, e emitirá boletins diários, que podem ser conferidos pela Imprensa ou qualquer pessoa na internet, no endereço http://www.ibama.gov.br/emergencias/areas-tematicas/fogo/boletins-diari….

De acordo com o boletim desta terça, brigadistas do PrevFogo estão no local, dando combate às chamas, e reforços já foram providenciados. Não se tem notícia ainda da dimensão dos estragos. O boletim mantém ainda alerta amarelo (sem confirmação de incêndio) em unidades de conservação nos estados do Acre (Floresta Nacional de Santa Rosa do Purus e Parque Nacional da Serra do Divisor) e do Amazonas (florestas nacionais Purus e Amazonas) e retira o alerta de unidades do Espírito Santo (Reserva Biológica de Sooretama) e de Minas (Parque Nacional da Serra da Canastra).

Além de técnicos do PrevFogo, a "sala de situação" é formada por representantes do Monitoramento, das diretorias de Proteção e Planejamento do Ibama e das diretorias de Unidades de Conservação de Proteção Integral, de Uso Sustentável e de Planejamento do Instituto Chico Mendes. As assessorias de comunicação dos dois órgãos dão suporte ao grupo, que trabalha em sintonia direta com a Coordenação de Emergências Ambientais.

Em caso de registro de focos de calor, que podem ser detectados via satélite ou por vários outros meios, a primeira providência da "sala de situação" é acionar os "gerentes do fogo", que são técnicos treinados nas UCs para articular o primeiro combate às chamas. Cabe a eles, avaliar o quadro e pedir reforços, se for preciso.

Este ano, o PrevFogo montou três bases aéreas para a operação de aviões e helicópteros que vão auxiliar as brigadas no trabalho de combate ao fogo. As bases foram instaladas nos Estados onde normalmente ocorre o maior número de queimadas - Minas, Goiás e Mato Grosso. Como são móveis, elas podem ser deslocadas para qualquer outro ponto do País, caso haja necessidade.

A "sala de situação" vai funcionar até o final de outubro, quando se prevê o final da seca. Os boletins com o quadro dos focos de calor em todo o território nacional serão divulgados diariamente, sempre no período da manhã. Eles podem ser acessados pela Imprensa ou por qualquer outra pessoa no endereço http://www.ibama.gov.br/emergencias/areas-tematicas/fogo/boletins-diari….

Os boletins trazem alertas sobre a ocorrência de focos de calor tanto dentro das Unidades de Conservação como na chamada zona tampão, que é a zona de amortecimento em torno das unidades. Nesse caso, o monitoramento é dividido em dois perímetros, de 0 a 5 quilômetros (buffer interno) e de 5 a dez quilômetros das UCs (buffer externo). Os alertas são de dois tipos - vermelho, em caso de confirmação de incêndio, e amarelo, quando o fogo ainda não foi confirmado.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.